01/01/12

SLAUGHTER (Can) - Strappado - 1987

Essa grande banda apesar de sua curta existência, foi uma das que mais bem representou a cena underground do Metal do Canadá, nos anos 80. Formado em agosto de 1984 por Terry Sadler (vocal e baixo), Dave Hewson (vocal e guitarra) e Ron Summers (bateria), o trio foi pioneiro em se tratando de som extremo em seu país. Praticavam um potente e agressivo thrash/death com elementos do punk e hardcore e influências de Hellhammer, Celtic Frost, Venom, Death e Possessed, portanto, dá prá se ter uma idéia do poderio sonoro desses bangers. Em sua discografia constam o single “Nocturnal Hell” (1986), vários demos e compilações, porém, “Strappado” foi seu único full length. O álbum foi gravado em fevereiro de 1986, mas, devido a vários atrasos e problemas só foi lançado no ano seguinte. Se o objetivo era elevar o thrash metal clássico a um outro nível de brutalidade e peso, com certeza absoluta a banda conseguiu com esse incrível disco. Em 1987, o trio decidiu testar os resultados da adição de outra guitarra, e assim Bobby Sadzak entrou para a banda. Começaram a gravar novo álbum, que originalmente foi batizado como "Paranormal". O novo material apresentava um som menos brutal e mais próximo do speed metal, com letras menos violentas e mais orientadas, como o título do álbum sugeria, o paranormal. Mas em 1989, enquanto o lançamento do álbum ainda estava em andamento, Terry Sadler decide ir embora. Isso afeta todos os planos da banda, e enquanto eles tentam encontrar um novo baixista, Dave Hewson decidiu mudar o nome da banda para Strappado...bem, aí já outra história. Em 2001, a Nuclear Blast relançou o álbum incluindo 4 faixas bônus de estúdio e 13 ao vivo, do show gravado em Toronto, em março de 1985, durante a primeira turnê da banda. “Strappado” é um grandioso e inesquecível clássico do Metal oitentista e é um dever tê-lo na sua coleção.

Tracklist:

01-Strappado
02-The Curse
03-Disintegrator
04-Incinerator

05-Parasites

06-F.O.D.(Fuck Of Death)

07-Tortured Souls

08-Nocturnal Hell

09-Tales Of The Macabre

26/12/11

PENTAGRAM (USA) - Relentless - 1985

Formado em 1971, o Pentagram é uma das bandas precursoras do Doom Metal e ainda continua na ativa. Aí se vão 40 anos, claro, com várias mudanças no line up, mas, a banda segue firme na estrada e fiel ao gênero que ajudou a criar. Após alguns singles e demos,finalmente, a banda lançou (de forma independente) seu 1º álbum completo em 1985, originalmente chamado “Pentagram”. Em 1993, o álbum foi reeditado pela Peaceville sob o título “Relentless”. Em outubro passado, postei o álbum no Rock On!, blog que mantenho com meu amigo Laaz. Como o “Powerhead” é voltado exclusivamente ao Metal dos 80´s, resolvi postá-lo aqui também. Afinal, o Pentagram é uma das mais importantes e influentes bandas do Metal e “Relentless”, um puro e absoluto clássico do Doom Metal. Plenamente recomendado!

Tracklist:

01-Death Row

02-
All Your Sins

03-Sign Of The Wolf

04-The Ghoul

05-Relentless

06-Run My Course

07-Sinister

08-The Deist

09-You're Lost, I'm Free

10-Dying World

11-20 Buck Spin

26/11/11

CHARIOT (UK) - 1986 - Burning Ambition

Em 1986 a NWOBHM já havia chegado ao fim, mas, algumas bandas que fizeram parte do movimento ainda estavam na ativa, caso do Chariot. A banda viveu grandes momentos nos clubes londrinos, como aquele show histórico no Marquee em 1986, que acabou sendo registrado em vhs e anos mais tarde editado em dvd. Este foi seu 2º full lenght e infelizmente foi mais um álbum do Metal oitentista que passou quase que despercebido, salvo pelos fãs da banda ou do heavy tradicional em geral. Eu acho este disco tão absolutamente empolgante quanto o espetacular debut “The Warrior”. É mais um excelente álbum desta inesquecível banda, feito com honestidade, simplicidade e acima de tudo, com muito feeling. Em 1987, o Chariot encerrou as atividades, retornando em 2006 com o inédito “Behind The Wire”, entretanto, sem grande repercussão. Importante é que, tanto “The Warrior” (já postado aqui), quanto “Burning Ambition” são dignos exemplares do bom e velho Metal britânico e merecem um lugar especial em sua coleção.

Tracklist:

01-Screams The Night
02-Meet My Match

03-Play To Win

04-Cradle To The Grave

05-Burning

06-Strangers

07-This Time You Lose

08-So Blind

09-Wasted Years

10-Heartless

24/11/11

HALLOWS EVE (USA) - 1986 - Death & Insanity

Um ano após o lançamento do sensacional debut “Tales Of Terror”, o Hallows Eve retornava à cena com “Death & Insanity”, sem dúvida, outro registro memorável do Metal oitentista. Eu costumo dizer que existem certos álbuns viciantes no Metal e esse é um deles, parece que quanto mais se ouve, melhor fica. A maioria do material deste segundo álbum já estava escrito no mesmo período em que “Tales Of Terror” foi lançado. Daí uma certa similaridade entre os dois álbuns, tanto na música, quanto nos temas. Criatividade, variedade, peso, velocidade, melodia e técnica, o álbum realmente tem tudo isso. “Death & Insanity ”, de fato, soa como um sucessor perfeito para o álbum de estréia. A banda mantém em praticamente todas as canções uma pegada forte, pesada e uma boa dose de energia. Os maiores destaques ficam para as faixas “Goblet Of Gore”, “Lethal Tendencies”, “Plea Of The Aged” e “Nefarious” que são alguns dos momentos mais empolgantes deste magnífico clássico. Fortemente recomendado!

Tracklist:

01-Death And Insanity

02-Goblet Of Gore

03-Lethal Tendencies

04-Obituary (instrumental)

05-Plea Of The Aged

06-Suicide

07-D.I.E. (Death In Effect)

08-Attack Of The Iguana (instrumental)

09-Nefarious

10-Death And Insanity (Reprise)

25/06/11

OVERKILL (USA) - Taking Over - 1987

Com o lançamento deste 2º álbum, o Overkill se estabeleceu como uma grande força do Thrash Metal. A banda aprimorou seu estilo, o que a tornou altamente reconhecível, distinguindo-a de outras bandas do gênero e permitiu-lhe permanecer musicalmente relevante por mais de duas décadas. “Taking Over” é ainda mais pesado que o clássico debut “Feel The Fire” e traz logo no início, duas das melhores músicas da banda, em minha opinião; “Deny The Cross” e “Wrecking Crew”. E seguem outros petardos inesquecíveis...”Use Your Head”, “Powersurge” e “Electro-Violence”. Que disco fantástico! Incrível como este álbum não obteve o reconhecimento que merecia inicialmente. Hoje, há 24 anos de seu lançamento é sempre apontado como um dos melhores do Thrash Metal oitentista (felizmente!). Este álbum tem um lugar muito especial em minha coleção, me traz sempre aquele sentimento inigualável de nostalgia ao ouví-lo. “Taking Over” realmente é um digno sucessor de “Feel The Fire”, ambos clássicos absolutos do gênero mais apaixonante do Metal. Thrash ‘til death!

Tracklist:
01-Deny The Cross
02-Wrecking Crew
03-Fear His Name
04-Use Your Head
05-Fatal If Swallowed
06-Powersurge
07-In Union We Stand
08-Electro-Violence
09-Overkill II (The Nightmare Continues)

05/06/11

KING DIAMOND (Dnk) - Them - 1988

“Them”, 3º álbum de King Diamond, mantém a proposta conceitual e o nível de excelência musical do álbum anterior “Abigail”. O conceito do álbum gira em torno da história de uma velha bruxa, reverenciada como a avó de King. Como em “Abigail”, a temática apresenta uma interessante e atraente ligação com a música. A banda vem modificada, com a entrada do baixista Hal Patino e do excelente guitarrista Pete Blakk. As melodias estão mais apuradas e o instrumental ainda mais requintado e original, atente para o inspiradíssimo trabalho de guitarras, a riqueza dos ritmos e as maravilhosas harmonias vocais. Junte tudo isso a uma bela produção e ao convicto poderio narrativo de King que o faz se sentir no meio da história e você terá esse grande álbum. Sem exageros, todas as músicas são ótimas, com um clima que as fazem se completar mutuamente. Em suma, mais um grande álbum a fazer parte da galeria de clássicos desta incrível banda. Maravilhoso!!! Obrigatório!!!

Tracklist:
01-Out Of The Asylum
02-Welcome Home
03-The Invisible Guests
04-Tea
05-Mother's Getting Weaker
06-Bye, Bye, Missy
07-A Broken Spell
08-The Accusation Chair
09-"Them"
10-Twilight Symphony
11-Coming Home
12-Phone Call

04/06/11

SODOM (Ger) - Persecution Mania - 1987

Resenha: Willian - Upload: Dony
Ah...Falar dessa banda, para mim, é algo incrivelmente satisfatório. Sou um grande amante de Thrash Metal, a melhor das variáveis do Metal, e aqui está a minha banda preferida. Simples assim! E esse álbum é um dos melhores trabalhos dos alemães, quiçá o melhor. Tom Angelripper, Blackfire Frank e Chris Witchhunter são os pais dessa criança maldita nascida dos porões da Alemanha! O que falar desse álbum? Magnífico! Ritmo frenético, guitarras sujas e altamente distorcidas, bateria alucinante e com um senso de urgência claustrofóbico. É thrash metal da melhor qualidade, pronto para espancar seus ouvidos e dilacerar seu cérebro de forma definitiva! Destaques? Poderia falar de todas as músicas, mas vou apontar três absolutamente fantásticas, verdadeiros hinos do thrash alemão e capazes de fazer qualquer headbanger perder o pescoço : “Nuclear Winter”, uma das melhores músicas de toda a discografia deles, com um riff sensacional, levada de bateria alucinante e um solo absurdamente matador; “Outbreak Of Evil”, verdadeira porrada thrash de dimensões imensuráveis e presença certa no setlist da banda; e “Sodomy And Lust”, um clássico, em suma...! São incríveis a técnica e a habilidade de todos os instrumentistas, no auge de suas capacidades e com a criatividade tinindo, prontos para marcar seu nome na história desse estilo tão apaixonante! Como já disse em outro post de uma banda alemã, se você acha que o melhor do thrash está na América do Norte, ouça esse álbum, tente permanecer com o pescoço intacto e repense seriamente seus conceitos sobre brutalidade musical. Você só terá a ganhar ao fazer isso!

Tracklist:
01-Nuclear Winter

02-Eletrocution
03-Iron Fist (Motörhead cover)
04-Persecution Mania
05-Enchanted Land
06-Procession To Golgotha
07-Christ Passion
08-Conjuration
09-Bombenhagel
10-Outbreak Of Evil (bonus)
11-Sodomy And Lust (Expurse Of Sodomy '87 EP)
12-The Conqueror (Expurse Of Sodomy '87 EP)
13-My Atonement (Expurse Of Sodomy '87 EP)

29/05/11

ANNIHILATOR (Can) - Alice In Hell - 1989

No fim da década de 80, o cenário Thrash já encontrava-se desgastado, mas, 1989 ainda iría trazer uma grata revelação ao gênero. O Annihilator explodiu a cena com este seu álbum de estréia monstruoso. Jeff Waters e companhia encheram o trabalho com muito peso e velocidade, juntamente com criatividade e excelente técnica. Waters é a força motriz por trás do Annihilator. Inspirado e criativo, ele compôs e gravou todas as partes de guitarras, como iría fazer na maioria dos lançamentos da banda. Seus riffs são poderosos, os solos soberbos e suas composições são brilhantes. Outro ponto alto do álbum é a presença do excelente Randy Rampage. Seus vocais ásperos e emocionais funcionam perfeitamente para a atmosfera do álbum. Ao longo de sua carreira, talvez, o Annihilator seja uma das bandas mais inconsistentes do Thrash Metal, com muitas mudanças na formação e experiências estilísticas, mas, no ano do lançamento deste clássico, a banda estava perfeitamente entrosada. “Alice In Hell” ainda se mantém como um dos melhores álbuns deles e eu considero um dos maiores clássicos do Thrash Metal! Plenamente recomendado!

Tracklist:
01-Crystal Ann
02-Alison Hell
03-W.T.Y.D.
04-Wicked Mystic
05-Burns Like A Buzzsaw Blade
06-Word Salad
07-Schizos (Are Never Alone) Parts I & II
08-Ligeia
09-Human Insecticide

22/04/11

LOUDNESS (Jpn) - Disillusion - 1984

O Loudness tinha percorrido um longo caminho desde 1980, depois de lançar um número crescente de álbuns de sucesso em sua terra natal, sendo 3 excelentes álbuns de estúdio e um estupendo ao vivo. O 4º LP, “Disillusion”, foi lançado em janeiro de 1984, tendo sido originalmente gravado na maior parte em japonês. A atenção de grandes gravadoras dos EUA para a banda e a necessidade de tornar seu trabalho mais atrativo ao público ocidental, provocou uma nova versão do álbum, lançada em julho de 1984, com vocais cantados em inglês. Nesta versão a faixa de abertura é a instrumental “Anthem (Loudness Overture)” que não consta na versão japonesa. O importante é que seja qual for o idioma, “Disillusion” continua a ser um dos melhores álbuns do Loudness, com excelentes faixas como “Crazy Doctor”, “Esper”, “Dream Fantasy” e “Satisfaction Guaranteed” (sem desmerecer as demais). Um de seus álbuns mais complexos em termos de composição, alguns temas com influências do rock progressivo como em “Milky Way” e “Butterfly”, por exemplo, onde podemos sentir algo reminiscente do Rush. Destaque ainda para a magnífica instrumental “Exploder”, um dos melhores solos do fenomenal Akira Takasaki. Mais um grande clássico da cena metálica oitentista, aqui disponibilizado em suas duas versões. Imperdível (eis) !

Tracklist:
01-Anthem (Loudness Overture)
02-Crazy Doctor
03-Esper
04-Butterfly
05-Revelation
06-Exploder
07-Dream Fantasy
08-Milky Way
09-Satisfaction Guaranteed
10-Ares' Lament

WARLOCK (Ger) - True As Steel - 1986

Este foi o 3º álbum lançado pelo Warlock, uma das bandas mais proeminentes na história do Heavy Metal alemão. Considerando que, em 1986, a banda tinha apenas 3 anos de vida e que já havia lançado dois excelentes álbuns, os clássicos “Burning The Witches” e “Hellbound”, sem dúvida, isto se constituiu num grande feito para uma banda relativamente nova. Quanto a “True As Steel”, é verdade que o álbum apresenta uma abordagem mainstream, com maior ênfase em refrãos melódicos e claras influências hard rock, mas, ainda mantém em grande parte, os elementos de speed metal do debut e o peso e agressividade de “Hellbound”. Warlock foi uma banda que sempre soube agregar perfeitamente em sua música; a velocidade, a melodia e o peso. Há de se destacar também o grande talento da banda em compor belíssimas baladas e suas apresentações ao vivo sempre marcantes pelos poderosos vocais e presença de palco de Doro Pesch (!), a eterna Rainha do Metal. O álbum foi lançado duas semanas após o Warlock se apresentar como banda de abertura no memorável festival “Castle Donnington Monsters Of Rock”, mas, algumas músicas do álbum foram incluidas no set list. Ainda que, “True As Steel” não ostente o título de um clássico como seus 2 discos anteriores é um excelente registro de uma das melhores bandas do Metal em todos os tempos. Fortemente recomendado!

Tracklist:
01-Mr.God
02-Fight For Rock

03-Love In The Danger Zone
04-Speed Of Sound
05-Midnite In China
06-Vorwärts, All Right!
07-True As Steel
08-Lady In A Rock'n'Roll Hell

09-Love Song
10-Igloo In The Moon (Reckless)

11.T.O.L.

21/04/11

METALLICA (USA) - ...And Justice For All - 1988

Resenha: Willian - Upload: Dony
Hoje, nosso blog resolveu postar um disco que serve como divisor de águas na carreira de um dos grandes monstros do Heavy Metal, o Metallica. A partir desse álbum, a banda pôde sentir um pouco do gosto do sucesso comercial, com milhões de vendas de CDs e incursões de clipes na MTV, caso da música “One”. Isso iria desembocar no maior sucesso de vendas da carreira deles, o “Black Album”, que era um bom trabalho, mas a anos-luz de distância dos clássicos oitentistas. Mas voltemos ao trabalho de 1988... Ainda tentando se recuperar da perda de um dos melhores baixistas da história, Cliff Burton, no ápice de seu gênio criativo, a banda trabalhou incessantemente para manter o bom andamento de sua carreira após o histórico “Master Of Puppets”, de 1986. O que se nota, ao ouvir da primeira a última nota do “... And Justice For All”, é que os músicos estavam incrivelmente inspirados, com o domínio total de seus instrumentos e capacidade criativa elevada. Percebe-se esse fato nos riffs, solos, bases e demais aspectos do som presente no álbum, caracterizado por conter as estruturas instrumentais mais intrincadas e complexas da discografia deles. Há músicas memoráveis, grandes clássicos do Heavy Metal, como “Blackened”, com letra inspirada e instrumental arrebatador, “Dyers Eve”, digna dos tempos “thrash metal” do debut deles, “To Live Is To Die” (tema semi-instrumental em homenagem a Burton) e, claro, “One”, com suas mudanças de andamento, climas variáveis e um solo arrepiante. Todos os músicos se destacam, exceto o novo baixista, Jason Newsted, cujo instrumento permanece praticamente inaudível durante todas as músicas. De qualquer forma, o trabalho em si é excepcional, e, para muitos, inclusive o responsável por essa resenha, é o último realmente relevante, honesto e sincero da banda. Os álbuns seguintes até têm algumas boas músicas, mas sempre soaram como uma banda fazendo cover de si mesma e buscando sonoridades altamente questionáveis e voltadas ao mainstream, tolhendo-se, de forma paradoxal, o gênio criativo que sempre foi notado em suas composições.

Tracklist:

01-Blackned

02-...And Justice For All

03-Eye Of The Beholder

04-One

05-The Shortest Straw

06-Harvester Of Sorrow

07-The Frayed Ends Of Sanity

08-To Live Is To Die

09-Dyers Eve

19/04/11

VICIOUS RUMORS (USA) - Soldiers Of The Night - 1986

Upload e resenha: Laaz
Devo desde já avisar que, esta é uma das minhas bandas favoritas. Álbuns como este debut, o homônimo, “Welcome To The Ball” e o fabuloso “Digital Dictator”, figuram como expoentes máximos do Heavy Metal. Embora este primeiro registro do Vicious Rumors não conte ainda com Carl Albert, um dos maiores vocalistas de todos os tempos na área do Heavy Metal, Gary St.Pierre não deixa os seus créditos por mãos alheias. Potente, Gary imprime um estilo inconfundível, que sempre demarcaria o Vicious Rumors de outras bandas. Conjugando com mestria puro US Power Metal com speed, melodia e coros monstruosos, o Vicious Rumors sempre foi um pouco diferente daquilo que se fazia na época. Este debut, é consistente do começo ao fim, com grandes temas, bem orquestrados, épicos diria mesmo, e com uma produção de primeira qualidade, aliás, característica da quase totalidade dos lançamentos da Shrapnel, que sempre teve um som diferente, e que sempre apostou em grandes músicos. Recomendadíssimo!

Tracklist:

01-Premonition
02-Ride (Into The Sun)
03-Medusa
04-Soldiers Of The Night

05-Murder
06-March Or Die
07-Blitz The World
08-Invader

09-In Fire
10-Domestic Bliss

11-Blistering Winds

10/04/11

AUTOPSY (USA) - Severed Survival - 1989

Resenha: Willian - Upload: Dony
Mais uma vez, nosso querido blog relembra mais uma injustiçada banda criada nos anos 80! O nome dela? Autopsy! Quer ouvir um death metal bruto, visceral e contagiante, com todos os clichês que o gênero pede, mesclados à originalidade e à vontade de fazer um som violento e assustador? Ouça-a, então! Bases de thrash permeiam todo o álbum, fazendo com que os headbangers possam balançar suas respectivas cabeças com uma vitalidade juvenil! As letras falam de temas comuns e caros ao death metal: mortes, mutilações e peças de horror em geral! Tudo permeado por batidas e guitarras rápidas e secamente estúpidas! Para quem curte o estilo, é uma preciosidade! Destaques? “Disembowel”, “Severed Survival” e “Charred Remains”, esta última com uma letra totalmente repulsiva! Mais uma vez, o blog do meu irmão Dony mostra toda sua diversidade, tornando-se uma grande fonte de bandas que mereciam muito mais reconhecimento dentro do estilo musical mais renegado de todos os tempos! Ouçam no último volume!

Tracklist:

01-Charred Remains

02-Service For A Vacant Coffin

03-Disembowel
04-Gasping For Air

05-Ridden With Disease
06-Pagan Saviour

07-Impending Dread

08-Severed Survival

09-Critical Madness

10-Embalmed

11-Stillborn

03/04/11

HOLOCAUST (UK) - The Nightcomers - 1981

Prá quem ainda não sabe, Holocaust foi uma das bandas precursoras da NWOBHM e sem dúvida, influente também. Tanto que, Metallica no seu início incorporou de forma notável, influências de bandas como o próprio Holocaust e Diamond Head (como já citado antes). A banda foi formada no longínquo ano de 1977, em Edimburgo, Escócia, e seus primeiros registros foram os dois antológicos singles lançados em 1980; “Heavy Metal Mania” e “Smokin´Valves”. No ano seguinte, o Holocaust lança seu 1º LP, “The Nightcomers”, que viria a ser um dos grandes e inesquecíveis clássicos da NWOBHM, o qual considero indispensável a todos que admirem o som daquela época maravilhosa. Em minha opinião, o álbum pode não ser tão cativante ou atrair sua atenção num primeiro momento, mas, depois de algumas audições, toda expectativa é recompensada e acaba se tornando viciante do início ao fim. Não poderia deixar de citar alguns grandes destaques como, “Smokin´Valves”, “Death Or Glory” “Mavrock” e claro, o hino “Heavy Metal Mania”, magnífica esta música. Plenamente recomendado!

Tracklist:

01-Smokin´Valves

02-Death Or Glory
03-Come On Back
04-Mavrock
05-It Don´t Matter To Me
06-Cryin´Shame
07-Heavy Metal Mania
08-Push It Around
09-The Nightcomers

BLESSED DEATH (USA) - Destined For Extinction - 1987

Upload e resenha: Laaz
O segundo álbum dos norte-americanos do Blessed Death é completamente diferente do primeiro. Se em 1985 a banda apostava claramente no speed metal, em 1987 mudou para o thrash com uns toques de hardcore aqui e ali. Álbum intenso, onde se destacam os vocais de Larry Portelli e a seção ritmica da banda. Na época, e com o mercado inundado de obras similares, este foi mais um disco que passou um pouco despercebido ao grande público, mas que não deixou de ter o seu reconhecimento, por aqueles que escavam na obscuridade. A produção também não ajudou muito a sua divulgação, já que era demasiado caseira ( talvez daí o seu charme para muitos ). No entanto, e como conclusão final, este disco é uma obra interessante que vale a pena escutar, onde se destacam boas idéias, bons riffs, muita potência e até raiva, embora eu confesse, prefiro o primeiro deles.

Tracklist:
01-Digital War

02-Painkiller

03-10000 Days Of Bloodshed
04-Incoming Wounded
05-Pray For Death
06-Death In The Sky
07-Curse Of Weapons
08-Alien Impregnation
09-Destruction´s Eve